sexta-feira, agosto 31, 2007

Sem título

Não sei o que se passa, mas parece que estamos numa era de renovação de pacientes, entre os novos que chegam, há nesta fase, alguns que se vão embora. É inevitável que tenha mais ligação aos bichos que entram mais vezes pelo consultório a dentro. Não só os bons, mas também os menos bons.
Na última semana decidiram estar a acabar de viver alguns moços de quatro patas.
Alguns são os clientes é-tão-bom-não-foi. Aqueles que entram no consultório cheio de esperanças que o veterinário lhes salve o bichano, sem se aperceberem que o dito já há muito tempo vive com uma doença que o vai levar desta para outra. Dizer a donos que entram com o coração nas mãos que o coração dos seus animais vai parar em breve é uma tarefa lixada, mais ainda quando o motivo é uma doença crónica que os vai debilitar enquanto cá andarem.
Existem também os outros, os donos que tratamos pelo nome.
O definhar é inerente a qualquer vida. Faz parte do último terço e por mais que se interiorize nunca é fácil de aceitar. Pensa-se sempre no que nunca se fez, no que não se vai fazer... Com os bichos é diferente, pensa-se sempre que eles vivem para sempre. Nada mais errado. Eles também se finam e alguns mais depressa do que se pensa.
Ultimamente os tumores têm prevalecido e arrasatam-se presos a alguns dos animais que passam pela clínica. O sofrer é complicado, mas quando chega aos bichos o ver sofrer parece-me ser ainda mais.
O Manolo e a Lassie têm donos que não os mereciam perder, porque são bichos que mereciam viver e não vão poder fazê-lo.

1 Comments:

Anonymous cristinablue said...

O syd e o ploquinho mandam uma turrinha :D:D:D

7:03 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home