quinta-feira, junho 29, 2006

A calçada portuguesa


Quando vejo o dinheiro dos meus impostos ser usado de forma estúpida fico ligeiramente revoltado.
Quando sai de casa pela fresquinha vejo o passeio da minha rua barrado por obras. O espanto foi gigante quando vi que as obras se resumiam a pesquenas rampas no lancil (palavra bonita!) dos passeios anexos a passadeiras. É de referir que estas rampas têm cerca de 70% de inclinação, o que para os 90 do degrau comum já é uma grande ajuda ao escorreganço e ao bate cú.
Quem é que, com dois dedos de testa consegue encontrar utilidade em tamanha obra? Se Portugal fosse um país de primeiro mundo de certeza que os passeios não estariam ornamentados com a pitoresca-mas-nada-práctica-e-toda-torta calçada portuguesa!
Eu infelizmente o único país, mais civilizado do que este onde vivo, foi a Espanha. De facto, em Barcelona não me parece que tenha visto muitos passeios cheios de paralelipipedos de tamanhos diversos prontos a pregarem com um gajo no chão!
Marrocos, Brasil, México, Cuba e República Dominicana não são exemplo de civilização fora dos resorts.
Por razões que agora não são para aqui chamadas privei de perto com deficientes motores. Que povo é que pode ser civilizado quando obriga pessoas de deficiente mobilidade a terem que se deslocar de cadeira de rodas num percurso de paralelipipedos tortos? Mais ainda, quem é que de cadeira de rodas consegue sozinho subir passeios com inclinações de 70%?
Exprimentem sentar a peida numa cadeira de rodas e andarem por aí. Ou pelo menos a fazerem 100 metros em cima de calçada portuguesa.
Gostava que me tirassem da cabeça que o tremor provocado pela calçada em carros de bebés não está na origem de putos birrentos, pedinchões e caguinchas. Obrigam as mães a levarem-nos ao colo e depois estas ficam todas desgraçadas das cruzes, têm menor produtividade laboral e mais desculpas para menos sexo (hoje não que me espetei na rua, ou, hoje não que torci um pé...)
Não dá para perceber o quão atrasado é um povo que se desloca em cima de calhaus?
O dinheiro deveria ser empregue na restruturação de mentalidades e na abolição da puta da calçada.

1 Comments:

Anonymous CardosoF said...

Caro POUCO SOCIAVEL, gostei de ler os teus comentarios sobre a nossa CALÇADA. Convido-te a ler um artigo que escrevi em: http://www.coisasboasdavida-deeper.blogspot.com/ - denominado por PASSEIOS DE NINGUEM. Ainda bem que existe mais gente critica da nossa calçada. O Blog não é meu mas a DEEPER fez o favor de publicar.

10:42 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home